Logo Centro Universitário Integrado
  • 2 de maio de 2024

Centro Veterinário Integrado auxilia no resgate de lobo-guará

O animal silvestre foi encontrado nas instalações do 11.° Batalhão da Polícia Militar e encaminhado para receber atendimento especializado

Uma cena incomum surpreendeu os policiais militares do 11.° Batalhão nesta quinta-feira, 24, em Campo Mourão, quando um lobo-guará, espécie típica do cerrado brasileiro que está ameaçado de extinção, foi avistado pelas dependências da unidade. Diante dessa visita inesperada, as autoridades acionaram o Instituto Água e Terra (IAT), a Polícia Ambiental para dar suporte no resgate em conjunto com a equipe de atendimento do Centro Veterinário Integrado, que prontamente se mobilizou para avaliar o estado do animal.

Com o nome científico, Chrysocyon brachyurus, mais conhecido como lobo-guará, também chamado por outros nomes como aguará, aguaraçu, lobo-de-crina, lobo-de-juba e lobo-vermelho, sua presença, porém, é incomum na região noroeste do Paraná, aumentando a singularidade dessa aparição já que a espécie está ameaçada de extinção. O chefe do IAT, Fabiano Viudes explicou que o animal foi avistado inicialmente no pátio do 11º Batalhão e, mais tarde, encontrou refúgio na área administrativa. As equipes responsáveis, isolaram a área conduzindo o lobo-guará sem recorrer a tranquilizantes inicialmente. O animal foi, então, levado para o Integrado, onde os especialistas avaliaram sua condição. “Após constatar que ele estava saudável, nós o devolvemos a natureza, levamos para uma reserva ambiental para garantir a segurança e bem-estar do animal”, afirmou Fabiano.

O professor e anestesista do Centro Veterinário Integrado explicou que o lobo-guará resgatado trata-se de um macho adulto jovem. “Fizemos a captura e na clínica realizamos a contenção química, também conhecida como sedação, para avaliação, para não correr nenhum risco do animal se machucar ou passar por estresse, após essa avaliação, em que foram feitos exames laboratoriais e de imagem, constatamos que ele pesava 26 kg, estava saudável e não estava machucado”, explicou o anestesista.

A coordenadora do curso de Medicina Veterinária do Integrado, Camila Mottin, ressaltou que esta não é a primeira vez que a instituição desempenha um papel vital no resgate e cuidado de animais silvestres. “No início deste ano, colaboramos com o resgate de uma onça-parda na cidade de Engenheiro Beltrão junto aos órgãos ambientais competentes. Assim como no lobo-guará, realizamos exames de rotina para assegurar a saúde do animal antes de reintegrá-lo ao seu habitat natural.”

Esse esforço conjunto entre as autoridades e a equipe especializada do Centro Veterinário Integrado demonstra a importância da cooperação para a preservação da fauna local e a promoção do bem-estar animal e destacam que a importância não tentar capturar o animal, e de acionarem a Polícia ambiental ou corpo de bombeiros em casos como esse, pois esses órgãos sabem como proceder garantindo a segurança de todos – tanto da pessoa que encontra quanto do animal em questão, orientou Camila Mottin.

A soltura do animal foi realizada no início da tarde pela Polícia Ambiental em conjunto com o Instituto Água e Terra, em uma reserva ambiental. Fabiano destaca que os órgãos envolvidos no resgate não informam o local em que o animal foi solto por questão de segurança. “Procuramos um ambiente adequado para devolver o lobo-guará na natureza, não divulgamos, para prevenir que a caça ou o risco de captura indevida do animal”, contou Viudes.


Compartilhe